quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Choram choram mas afinal até fazem coisas com piada

Cá ando, mais activa do que há muito tempo e mais consciente também (pequenos passos, pequenos passos). Hoje foi apenas mais um desses dias que me encheu com uma boa e tão proveitosa e memorável experiência nesta área: foi-se a ver, e acabei por participar num workshop aliado à iniciativa da Experimenta Design e daCoca-Cola (Light) Gosta de Ti.

A premissa foi relativamente simples: perguntaram se haveriam uns escassos nove eleitos que se queriam voluntariar para o projecto - com bonus de dia sem aulas justificado - e lá alinhei. É claro que de tão esperta que sou, que acabei por ficar meia-hora perdida em ruas avessas e estreitas de Lisboa, para cima e para baixo, até dar com o malfadado lugar.

Mostraram-nos a exposição e explicaram-nos os conceitos - a nós e a mais outros tantos gatos pingados de design e design de comunicação de outras universidades que também lá estavam. Do trabalho, o desafio exigia que num tempo relativamente curto nos organizássemos em grupos e, com uma palavra-chave aliada à própria coca-cola e com material recolhido pela campanha, formássemos um objecto completamente novo.

Juntei-me a um rapazito da minha turma e a três meninas de belas-artes do porto. Das maravilhosas caixas de tesouros perdidos com naprons de porcelada, rendinhas, bordados, sapatos velhos, cestas e cestinhos, caixas e caixinhas, e gravatas (oh, quantas gravatas) lá vasculhámos por incálculável material - ainda que 80% das vezes sem utilidade prática aparente (ou um caracol de porcelana ou um sapatinho pontiagudo de fivela dourada não fossem um de tantos objectos peculiares).

A nossa proposta passava então por criar novos formatos para a marca com o que quer que nos fosse aparecendo sob o signo da "forma única"; e por isso mexiamos-nos rapidamente e procuravamos soluções estranhas e inesperadas, testávamos encaixes, materiais, sobreposições e colagens toscas - a mesa era cenário e vítima de guerra. O tempo acabou e as primeiras versões meio incertas, meio corajosas foram apresentadas em primeira ronda a um juri receptivo (com direito a esboços in momento e tudo!) que deu as critícas iniciais e nos preparou para uma segunda fase: amadurecer os objectos e apresentá-los perante alguém que nunca os vira, defendendo-os como quem vende o seu produto.

Time out para almoço, no entanto. A febra veio bem a jeito e mais dois dedos de conversa tornaram o serão bem passado. Chegámos, escolhemos os protótipos que deviam vingar, pensamos numa campanha sólida e, chegado o momento, pelo menos defendemos aquilo que nem uns valentes. Sentia-me nervosa mas também como uma pontadinha de orgulho profissional. Tinhamos alguns argumentos fortes e eloquentes e, ao sinal de aprovação, não só foi uma pequena vitória: afinal também recebi um pack de latas de colas light bem jeitosas.

E como salientou a minha querida irmã quando cheguei a casa:

"Que bom, já não tens de roubar mais!".

Pois não. Agora que ando em workshops a vida é outra coisa.
Um amén saudoso para todos vós.


P.S: dos outros trabalhos também resultaram coisas incríveis - regra geral, pouco ortodoxas. Na volta ainda desci o Bairro Alto e, não satisfeita com o pack, roubei tudo o que era revista e material grátis a que tinha direito. No fim ainda tive tempo para me meter num carro e assustar por alguns segundos o meu instrutor com uma manobra brusca de última hora numa rotunda. A vossa menina está é a ficar crescida e vocês não querem admitir.

O site do projecto: http://www.cocacola.pt/projectogostadeti/

*

1 comentário:

  1. Pois está...a nossa menina está, de facto, a crescer! Maldição!:D

    *

    ResponderEliminar