segunda-feira, 28 de junho de 2010


Deixem.me vos dizer porque é que não gostamos de rapazes choninhas, moles, sem sal, meh, fraquinhos, indiferentes: porque são cansativos. A sério. Se há coisa que mais encanto tem num rapazito é a sua capaciadde de decisão, o querer as coisas, a sua ambição em tudo na vida. Não falo em ganância ou arrogância, que isso de pouco ou nada serve. Trust me. Falo daqueles rapazes que sabem bem o que querem. Não têm medo. E mesmo quando têm, tentam. Chegam a meio caminho. E nós só temos de chegar a meio caminho também. Sentir que somos objecto de desejo de alguém é sempre agradável mas saber que esse alguém tenta para que sejamos dele “definitivamente”, então aí a coisa é mesmo boa. Nem que nos queira por algumas horas, ou segundos. Ao menos, quis-nos. Credo, não quero dar a ideia de que as mulheres são todas umas mal-amadas e que têm que aproveitar o primeiro que lhe faz frente. NÃO. Apenas admiro e assumo como importante a capacidade de decisão, de querer e de por fim, se sim ou se não, de ter.

Sentir que somos os únicos a fazer esse esforço e depois não acontecer, não. Já é suficientemente arriscado e difícil sair da nossa “zona de conforto” e chegar a meio de um caminho desconhecido para depois ficarmos lá sozinhos a ver o tempo a passar. Se chegámos, bolas cheguem-se também! Não me interessa que sejam tímidos, inseguros, envergonhados, nerds, lentos, o que seja. E porquê? Porque eu sou isso tudo também. Simplesmente resolvi por isso tudo para trás das costas a partir do momento em que lhe ligo a convidar para fazer alguma coisa. Ele que não se encolha que já me custou bastante a dar este passo. Então os segundos antes de marcar os números e esperar pelo “pi” normal da espera são agoniantes. Marcas o número mas revês três vezes. Revês mais uma vez que não faz mal nenhum. E depois colocas a voz e esperas. Ninguém atende. Bah. Tentas outra vez e falas finalmente. Pronto, pensas, seja o que deus quiser.

Acreditem que quando uma pessoa se chega à frente é sinal de que está, de facto, disposta a conhecer a outra pessoa melhor. Conhecer o seu universo. Os seus gostos. Os seus receios. Os ódios e as paixões. A sério. Não se encolham que depois a frustração tolda-nos o juízo, amiguinhos.

Pronto acho que está tudo. Tinha de tirar isto do meu sistema senão nunca mais fazia a digestão.
*
[Chanel iman para Vogue spain por Michelle Ferrara.Post patrocionado pela Miss VV Brown e o seu "Shark in the Water".]

1 comentário:

  1. so true. Os que se encolhem, não valem o esforço rita. Beijinho*

    ResponderEliminar